Já passa quase um ano desde a aprovação em conselho de ministros da obrigatoriedade de seguro de responsabilidade civil para operadores de drones com mais de 900 gramas. No entanto, a oferta de seguros nesta área teima em ser lenta a responder.

Sendo esta uma pergunta que recebemos com frequência, é com muito prazer que anunciamos o lançamento da FlySafeGo, a primeira aplicação portuguesa de seguros para drones on-demand. 

Para perceber melhor a funcionalidade e cobertura da aplicação, estivemos à conversa com a equipa da Think Future, a empresa responsável pelo desenvolvimento desta aplicação.


- Quanto tempo, em média, demora a contratar um seguro na vossa app?
 
Depois do registo do utilizador na App FlySafeGO, a subscrição do seguro poderá ser concluída em 35 segundos.

Seguro Para Drones

- Estão presentes em quanto países? Têm planos para expandir para mais países?
 

Estamos em processo de expansão internacional, apontando a Europa como o mercado prioritário. Em Portugal, a app tem vindo a ser usada em parceria com a corretora de seguros MDS e a seguradora Una Seguros.
Consoante os países em que a Think Future entrar, poderemos vir a trabalhar com seguradoras diferentes.
 


- Preveem uma legislação mais uniforme em termos da obrigatoriedade de seguros para a UE toda?
 
Já existe e está em execução pela Comissão Europeia:
 
Em 11 de junho de 2019, foi publicado o Regulamento de Execução nº 2019/947 da Comissão relativo às regras e aos procedimentos para a operação de aeronaves não tripuladas com o objetivo de aumentar a segurança operacional (“safety”) e a segurança física (“security”) das operações no espaço aéreo europeu das aeronaves não tripuladas.
O presente regulamento estabelece disposições pormenorizadas com vista à operação de sistemas de aeronaves não tripuladas, assim como para o respetivo pessoal, incluindo os pilotos à distância e as organizações envolvidos nessas operações.
As regras apresentadas têm uma caracterização técnica e operacional identificando as capacidades que estes equipamentos devem ter para a sua operação em segurança. A regulamentação abrange todos os tipos de operações, desde os que não precisam de autorização até as operações mais criticas envolvendo a certificação das aeronaves não tripuladas e dos seus operadores.
Em conformidade com a regulamentação europeia, a entrada em vigor é nos próximos 20 dias mas atendendo à necessidade de uma transição adequada todos os Estados Membros terão 1 ano para implementar todas as medidas identificadas.
Neste sentido, a Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA) publicará em breve o material de apoio necessário para facilitar a aplicação e o cumprimento deste regulamento.
Junto do Regulamento de Execução foi também publicado o Regulamento Delegado (UE) 2019/945 da comissão de 12 de março de 2019 relativo às aeronaves não tripuladas e aos operadores de países terceiros de sistemas de aeronaves não tripuladas. Este Regulamento estabelece os requisitos de conceção e fabrico de sistemas de aeronaves não tripuladas que se pretende sejam postos a funcionar de acordo com as regras e as condições definidas no Regulamento de Execução (UE) 2019/947 e de dispositivos anexos de identificação à distância.


- Que tipos de drones podem ser cobertos pelo seguro? De qualquer valor/tamanho? Apesar da lei apenas obrigar a contratação de seguro para drones a partir das 900 gramas, aconselham contratar um seguro para um drone mais pequeno (ex. um dji spark)? 


A FlySafeGo é compatível com drones das marcas DJI, Parrot, Xiaomi, e Yuneec. A par das marcas, a app apenas permite contratar um seguro para drones que registam dados de voo, permitam delimitar raios de ação (geofencing), aqueles que disponham de sistemas de localização, e que tenham funções automáticas de retorno à base (FTH Return to home).
 
Por uma questão de bom senso e boas práticas do referido sector, todos os Drones deveriam contratar um seguro, mesmo aqueles abaixo de 900 gramas.
 

- Quais os planos futuros para a aplicação?
Expansão internacional e novas funcionalidades para potenciar a experiência de utilização por parte dos pilotos de Drones.
 
 
 - Que outras funcionalidades estão disponíveis?

 
A app também pergunta no próprio momento se o operador tratou da autorização da ANAC - mas é o operador que assume a responsabilidade tratar dessa autorização previamente.

Além da contratação de um seguro, a FlySafeGo indica, na própria hora, as condições de voo, tendo em conta a localização, as condições meteorológicas ou as áreas restritas por questões legais.
 

- Qual a cobertura e custo dos seguros?

De uma hora a 365 dias. Os dois períodos funcionam como principais referências da app FlySafeGo – e já estão ao dispor de qualquer operador de drones que pretenda contrair um seguro no momento da descolagem. Os custos começam nos 4,10 euros para uma hora de voo nas condições de voo menos exigentes e preveem três patamares de valores de responsabilidade civil, em caso de incidente: 100 mil euros, 250 mil ou 500 mil euros.


Tendo instalado e experimentado pessoalmente a aplicação, podemos com segurança afirmar que esta aplicação é uma grande ajuda para quem quer voar em conformidade com a lei. Usada em conjunto com a aplicação Voa na Boa, oferece uma solução quase completa para voar em segurança. Resta apenas a agilização do processo de autorização da ANAC, que continua lento e apenas disponível por email.